O que você precisa saber sobre o Feminismo

Muito se fala desse movimento, mas pouco se conhece, então eu vim aqui para pedir a sua paciência como leitor (a), para ler o conteúdo desse texto até o final, e por fim poderá tirar todas as conclusões que achar cabíveis. Primeiramente gostaria de dizer que muitos confundem esse movimento com o femismo, onde acreditam que o intuito é entre outros dizer que a mulher se sobressai ao homem, ou que as mulheres feministas odeiam veementemente os homens. A importância de falar sobre tais intuitos é dizer que todos eles estão errados. O movimento não veio para ser contrário ao machismo, pelo contrário esse movimento diz respeito a todas as mulheres que querem visibilidade, e mais do que isso direitos. E para tanto foi e é necessário. Bom, a razão do movimento ser ainda necessário parece obvio, todos os dias acontecem (vários) estupros no brasil, mulheres são agredidas fisicamente ou verbalmente, e por diversas razões se mantém caladas.
      Todos os dias mais mulheres no mundo, digo, milhões de mulheres, tem seu clitóris retirado, pois as mesmas não podem culturalmente sentir prazer. Quantas mulheres não conhecem seu próprio corpo? Muitos pais, digo me referindo a pais e mães, ou a constituição de família que houver, aceitam com normalidade que seus filhos do gênero masculino se masturbem, no entanto veem de maneira assustadora quando se trata de uma filha do gênero feminino praticando o mesmo ato, como se fosse algo de outro planeta, de modo que muitas mulheres passam uma vida inteira sem sentir prazer, ou fingindo que sentem, não sabendo quais zonas são erógenas ou não.
         Contudo, diversas razões estão presentes, não vim apenas falar sobre corpo, mesmo que o corpo seja um direito também, afinal esse de fato nos pertence, e não preciso aqui pautar novamente que o estupro jamais (em hipótese alguma) é culpa da vítima, pois pense comigo, quem pediria para ser estuprada? para ser violada de modo a ter suas partes mais intimas repletas de sangue, sem contar do trauma psíquico que cada uma dessas mulheres sofrem. Eu muito leio que feministas só sabem se fazerem de vitimas, será que o discurso não se pauta para lembrar de todas aquelas mulheres que são vitimas todos os dias e não podem ter voz? Não é que eu tenho medo o tempo todo de ser estuprada, mesmo sabendo que está realidade está ai fora, mas é que eu temo sim, eu temo quando saiu nas ruas e sou comparada a um pedaço de carne por estar usando um short acima do joelho, e mesmo se não estivesse, ainda sim. Não é que sou contra cantadas, mas sou a favor do respeito, é diferente ouvir um ''linda'' a ouvir um ''gostosa'', é tão diferente ouvir ''boa noite'' a um ''quero te comer'', são palavras mesquinhas, que não conquistam, não encantam, apenas geram repugnância. Nada contra o olhar, mas que interessante seria ver olhares com reciprocidade, a ver um olhar que te come com os olhos te olhando de cima a baixo.
        E não, não seja uma pessoa que pensa que mulheres feministas possuem o mesmo padrão, pois estereótipos não são o que pautam esse movimento, e padrões,  bem padrões são constituídos pela sociedade, e me diz, é tão difícil assim aceitar o outro como ele é? É difícil não julgar o outro por ele ser o que quer ser? Desde quando padrões constituem o que é certo ou errado, bom ou mau? Não, eu não uso a roupa da moda, não uso batom vermelho, não uso salto alto porque me mandaram usar ou porque é obrigatório na sociedade, eu uso porque eu quero usar e quando eu quero, eu uso o que me faz bem, tendo a convicção que ao olhar no espelho estarei de bem comigo, sem me importar com que os outros pensam. Tantas mulheres passam a vida inteira tentando se adequar a padrões, vestindo sorrisos falsos, usando coisas que não querem usar, sendo o que não querem ser porque se sentem obrigadas a isso, esquecendo-se que felicidade é só questão de ser.

        E você pode me dizer que acha radical uma feminista pedir para não violarem o corpo dela, e sair nas ruas protestando com os seios a mostra, poderá me dizer que acha que isso é radicalismo, mas tal radicalismo é para dizer: ei eu estou aqui, eu sou ser humano, e merece ser respeitada, esse é o meu corpo e ele só me diz respeito, é meu e de mais ninguém. É tão difícil entender isso? Não se trata de uma guerrinha de sexos opostos, e sim de uma luta por parte de quem já cansou de ser violentada moralmente, fisicamente, e verbalmente. É para isso que o feminismo está ai, para ensinar as mulheres que elas devem se vestir como querem, se portar como querem, ser o que querem ser, sendo respeitadas e com reciprocidade respeitando também, afinal o respeito nunca se pautou em gênero, classe social, nem tão pouco opção sexual. 

Share:

0 comentários