O que há de errado com nós?



O que foi que fiz a você? O que tentei fazer a ti que não teve um resultado? Porque toda vez que uma pessoa se vai, só ficam magoas, saudades, dor e até mesmo raiva. O que há de errado comigo? O que há de errado contigo?

Olhamos para tudo que fizemos agora e não passam de meras lembranças vazias. O que devia fazer? Usar meu corpo como um boneco fingindo estar bem ou devo demonstrar o que sinto em relação a sua ida? São perguntas que não iram chegar a ti. Não mencionadas de meus lábios que hoje você não quer mais tocar ou sentir. Talvez essas questões virão de você. 
Um orgão chamado coração hoje ganha mais um curativo talvez, ou ganha uma estaca como um vampiro. Esse tal orgão humano que usamos como uma forma de representar o amor, hoje apenas chora e sangra. Mas ele está perdido, não tem rumo, não tem caminho. Ele está sentido algo que um sentiu por outro alguém que também o deixou assim, e ele se pergunta "por qual motivo fui deixado?" E minha razão tenta responder, mass é vão. 
O coração é como uma criança de quatro anos, e a razão uma pessoa já adulta. Então é como se fosse um adulto tentando explicar trigonometria a uma criança entendeu? Ele nunca vai entender. Ele pode se conformar, se esquecer, se alegrar por outro alguém, se divertir. Mas nunca irá conseguir entender. 
Mas minha última questão é. O que há de errado com nós?

José Ramos, Colunista

Share:

0 comentários