Dedicado a você


Minha vontade hoje é correr atrás de você. Ir até o seu prédio, apertar seu interfone e dizer que "não, eu só queria ouvir sua voz" para depois rir com você me chamando de louca e me mandando ir embora por um milhão de motivos diferentes.

Eu só queria, hoje, ouvir você sussurrando de novo aquele "linda" no meu ouvido, aquele quase sem voz e ofegante depois de uma das nossas transas loucas. Queria mesmo encostar meu rosto no teu peito de novo, mexer nos pelinhos do teu braço e dizer "eu amo teu cheirinho" enquanto você dá aquela risada gostosa e me chama de meninarréa.

Eu, logo eu que nunca quis nada de ninguém só queria, hoje, que você me ligasse e me chamasse de idiota mais uma vez e eu retrucaria com um nojento, mas acabaria dizendo que te amo.

Hoje eu realmente preciso me sentir protegida de novo dentro daquele seu abraço quentinho e acolhedor, enquanto deixo que as lágrimas - essas que imploram para sair - finalmente rolem pela minha face.

Queria mesmo era que você me lesse e visse que em cada texto tem uma parte, nem que seja uma palavra dedicada a você e a todos os nossos momentos juntos. Queria mesmo, de verdade que você também me amasse e não meu bem, esse carinho todo que você sente por mim jamais será amor e nós dois sabemos tão bem quanto sabemos que depois do if vem o else.

É que hoje eu gostaria muito de poder te contar que escutei aquela música do Los Hermanos pensando em você e eu chorei. Contar que quando eu tive uma "bad" depois daquele baseado e fugi era você quem eu queria que me encontrasse. Contar que no dia em que eu vi uma estrela cadente você foi o meu pedido.

Engraçado que eu, logo eu, fui me apaixonar por um você que é tão inalcançável quanto as próximas galáxias.

E eu escrevi toda essa ladainha sentimental para dizer que: no fundo o que eu queria mesmo era te contar que "eu sinto sua falta" e como dizia o Gabito, sentir falta é para quem sente vazio, só um buraco.
Eu sou um buraco.

Camila Leal, Colunista.

Share:

0 comentários